Por que precisamos de arte?

Os tempos atuais têm demonstrado a crescente dificuldade dos indivíduos em conviver com ideias diferentes das suas. Todos temos convicções, leituras, vínculos e experiências que constituem a nossa forma de ver o mundo. É natural o desejo de sustentar nossa opinião, todavia constatamos que o posicionamento do outro, com frequência, é tido como “limitado ou inferior”.

As redes sociais têm sido utilizadas como ferramentas que impulsionam a dificuldade de aceitar o discurso diferente. Vários são os estudos que apontam as razões pelas quais isso ocorre, tanto pela percepção que o algoritmo valida as nossas preferências e nos mantém em “bolhas de reverberação”, como pela dificuldade de ler qualquer “modulação da voz”.

Quando conversamos, podemos dar ênfase a determinadas palavras ou colocar suavidade em termos mais delicados. Os textos escritos, na velocidade com que pretendemos registrar opiniões ou fatos, por vezes se tornam agressivos e provocam dificuldades de entendimento.

Também podemos aprender uns com os outros, o que não significa acatar integralmente as ideias que divergem das nossas. A escuta permite reflexão, mesmo que seja para validar a leitura de mundo que temos.

Fica o convite para conversar, pois essa é a melhor maneira de compreender os pontos de vista e realizar os contrapontos, sempre com educação e respeito.

Também é importante lembrar que a arte nos remete à suavidade, sugerindo-se que possamos voltar aos livros, à poesia, à música e aos filmes para exercitarmos a empatia e o afeto uns pelos outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *